31 de agosto de 2011

Beleza não é o mesmo que perfeição

Li hoje no blogue da Carminho uma opinião sobre o que Augusto Cury chama de síndrome de PIB, Padrão Inatingível de beleza, num artigo intitulado de “A Ilusória Perfeição!”
Nos dias de hoje, os meios de comunicação de massa transmitem imagens de um padrão de beleza cada vez mais difícil de atingir. A situação torna-se ainda mais frustrante quando as imagens são trabalhadas artificialmente, exibindo uma beleza perfeita que não corresponde à realidade.
Como consequência, muitas mulheres tendem a procurar alcançar esse padrão de beleza e creio que posso afirmar que há muitas mulheres que acabam por se convencer que só serão bonitas se conseguirem corresponder a determinados parâmetros de beleza. A Carminho disse e muito bem: “É óbvio que nenhuma mulher conseguirá olhar-se ao espelho e ver-se sem rugas de expressão, sem qualquer sinal de nascença ou provocado pelo sol, (…) e sem celulite…”. Como a fasquia é muito alta, muitos são os complexos que daí podem advir.
O que eu tenho a dizer a todas as mulheres é que não precisam ser perfeitas para serem bonitas. O corpo da mulher tem curvas que não devem ser limadas por uma magreza excessiva. As nossas rugas contam as histórias das nossas expressões. É verdade que aumentam com o passar dos anos. Mas quem não quer uma vida longa? A celulite… a verdade é que são poucas as mulheres que não têm nem um pouco. Marcas do sol? Mas quem não quer o seu lugar ao sol? A nossa dieta deve ser saudável. Nem “gordura é formosura”, nem “magreza é beleza”. Tenho um defeito aqui e mais outro ali? O corpo da mulher é um todo e não uma parte.
Este todo inclui a sua personalidade. Um sorriso sincero é mais bonito que um sorriso pedante. A graciosidade no andar também conta, assim como a doçura na voz. Um olhar pode ser mais bonito que os olhos e o pestanejar mais elegante que as pestanas.
É claro que também podemos recorrer a uma série de auxiliares de beleza como roupa, sapatos, jóias e outros acessórios de moda, unhas de gel, maquilhagem, extensões, madeixas, cremes hidratantes… e podemos e devemos fazer exercício que só faz bem à saúde.
Para terminar, há muitas mulheres bonitas, lindíssimas, que não são perfeitas. As modelos e as actrizes são lindas e não são perfeitas. Uma mulher é bonita, quando se sente bonita. E no que se refere a auto-estima, recomendo o que Cury aconselha: devemos ter um caso amoroso com nós próprios.

30 de agosto de 2011

Tudo Por Um Sonho

Testemunho breve de um açoriano que se candidatou à academia da Força Aérea para a especialidade de piloto aviador.

Chipmunk 1306
Chipmunk 1306 - Fonte da Imagem

            Os sonhos existem para ser alcançados e, para os alcançar, muitas barreiras temos de ultrapassar.
            O meu sonho era ser piloto na Força Aérea e para isso candidatei-me à respectiva academia.
            A candidatura consistia em passar a diversas provas como testes psicotécnicos, médicos e físicos, mas a minha primeira prova foi afastar-me da minha família. Sendo eu dos Açores e indo prestar provas a Portugal continental, tive um oceano entre mim e a minha família. Tinham começado as dificuldades. Mas isso foi ultrapassado com o bom ambiente que encontrei e com a minha visão de um futuro risonho. O sonho valia a pena.
            Os testes que se seguiam não eram fáceis, mas o que é fácil nesta vida? Por várias vezes pensei que iria perder, mas os veredictos finais dos superiores foram sempre favoráveis para minha enorme satisfação.
            Até agora o teste mais difícil foi o estágio de selecção de voo. Tinha duração de duas semanas em regime de internato na própria academia. Consistia em avaliar a nossa aptidão ou a primeira abordagem aos aviões. Os primeiros três dias foram intensamente teóricos com aulas de sol a sol e ainda com a necessidade de fazer grandes noitadas para captar toda a teoria. Foi um esforço intenso de que não estava nada à espera nem habituado. A somar a todas as dificuldades, éramos muitas vezes castigados por pequeníssimas asneiras e tínhamos de obrigatoriamente fazer um teste teórico onde tínhamos de obter pelo menos 80%. A pressão era intensa, mas fui recompensado pelo trabalho despendido e com as perspectivas de realização de um sonho. Após os dias teóricos e a aprovação no teste, começámos a pilotar aviões. Foi a experiência que fez valer todas as dificuldades por que tinha passado. Aprendi muitas coisas e ainda tive oportunidade de fazer acrobacias com o avião. Não tenho grandes palavras para caracterizar a sensação mas foi fantástico. Foi das melhores experiências que tive na minha vida.
            Depois de tudo, de ver gente a reprovar, pessoas a desistir, a pressão que senti e as injustiças que sofri, sinto-me um sortudo e capaz de fazer qualquer coisa para concretizar um sonho. E ainda fiquei ciente que vale a pena lutar pelos nossos desejos.
            Por tudo isto vou encarar a minha última prova, a prova de aptidão militar, a prova que todos temem por ser a mais difícil, a prova que só os melhores conseguem passar de forma corajosa, com espírito de sacrifício e com a ideia de que são capazes. Tudo por um sonho.

Ciclo da Violência Doméstica


O ciclo da violência doméstica
Fonte da Imagem

A violência doméstica entra num ciclo vicioso do qual, para muitas pessoas, não é fácil sair. Como se isso já não bastasse, é como uma bola de neve que vai aumentando e aumentando.
No início da relação tudo é maravilhoso. É realçado o que há de melhor em cada um, é como um sonho, como num filme, apaixonante, emocionante e muito envolvente. É a fase em que só se conseguem ver as pétalas das rosas. Tudo é doce como o mel.
Fase de tensão
A tensão vai aumentando gradualmente. O/A agressor/a vai acumulando tensões e frustrações com as quais não sabe lidar ou não consegue digerir e canaliza-as para a vítima que já se encontra num terreno perigoso. Já se vêem os espinhos. Começa a tornar-se agressivo/a, culpabilizando a vítima e ignorando as suas tentativas para o/a acalmar. Culpa-a normalmente por coisas simples como ter chegado tarde a casa, ter posto demasiado sal na comida, ou não ganhar dinheiro suficiente. Nesta fase poderão ser exercidos os vários tipos de violência que conhecemos.
Fase de Agressão/ Explosão
A agressão acontece quando o/a agressor/a perde o controlo durante uma discussão, ou alguma situação problemática, e maltrata a vítima. Os espinhos ferem. A violência física raramente está ausente nesta fase. Na verdade, tende a aumentar de intensidade ao longo dos anos. Há vítimas que chegam a ficar em estados muito graves, necessitando de tratamento médico, o que muitas vezes não recebem de imediato.
Fase de Lua-De-Mel
Depois da agressão o/a agressor/a mostra arrependimento e é hábil a pedir desculpa. Promete que aquilo nunca mais se vai repetir e consegue até encontrar desculpas e justificações para o seu comportamento. Depois da reconciliação, o casal vive momentos muito agradáveis em que o/a agressor/a consegue corresponder muito bem às expectativas da vítima. Oferece um lindo ramo de rosas. A esperança une-se ao amor e a vítima acredita que vai ficar tudo bem. Infelizmente o ciclo é vicioso. A tensão volta a aumentar e a violência recomeça.

Fontes:
- Folheto informativo da DRSSS

29 de agosto de 2011

Curso de Preparação para o Matrimónio

Anel de Noivado
Fonte da Imagem

Foi uma experiência positiva. Considero muito importante, pois há questões que devem ser consideradas com muita seriedade antes de se dar um passo tão importante. Ouço muitas pessoas dizer que o divórcio está demasiado facilitado e condenam esse facto. Na minha opinião, ele bem que pode ser facilitado. O casamento é que deve ser muito bem ponderado.
No curso que frequentei aprendi duas coisas que jamais esquecerei:
“Até ao dia é dia!”


Runaway Bride
Fonte da Imagem
 

Durante este curso, são abordados vários factores que podem comprometer a felicidade de um casal. Para além disso, tentam ajudar as pessoas a compreender se a pessoa com quem vão casar é mesmo a pessoa certa ou se estão preparados para essa união.
Muitas vezes, há quem sinta, nas vésperas do casamento, que não é bem isso o que quer. Mas os preparativos já vão avançados, os convites enviados, uma série de profissionais contratados e é muito difícil desistir em cima da hora.
Neste curso, reiteraram inúmeras vezes a frase “Até ao dia é dia!”. Antes desistir no dia antes, antes desistir no altar, do que viver depois algum tempo num grande tormento e ter ainda de enfrentar um penoso divórcio. Sai muito mais caro financeira e emocionalmente.
“Quem ganha, perde!”

Mr. & Mrs. Smith Poster
Fonte da Imagem
Esta frase tem a ver com saber ceder e proteger a relação. Se os dois discutem sobre um determinado problema, se cada um está convencido de que tem razão e crê que tem de convencer o outro da sua razão, vão brigar por muito tempo, talvez sem chegar a um acordo, e quem perde com isso é a relação, que é desgastada e vai ficando comprometida. Mas se um dos dois ceder, não pensem que esse perdeu a batalha. Não, ganhou-a, porque protegeu a relação. Fez com que a discussão terminasse e com que ficassem bem um com o outro. Esse é que é o vencedor.




28 de agosto de 2011

Tipos de Violência (Doméstica)

Veja também: O Ciclo da Violência Doméstica

Mulher com a boca cosida com linha
Fonte da Imagem

A violência não é apenas física. Quando alguém nos pergunta o que é a violência e nos pede um exemplo, normalmente referimos a violência física. Se insistirem connosco e nos pedirem um exemplo de violência de outro tipo, conseguimos lembrar-nos da violência verbal. Mas a violência não tem apenas estas duas facetas. Para além de física e verbal, ela também pode ser psicológica/ emocional, económica e sexual.
Violência Física
Este tipo de violência é dos mais fáceis de identificar. Está relacionada com agressões corporais, como bater, arranhar, morder, dar pontapés, empurrar pelas escadas abaixo e tudo o que possa causar danos físicos.
Violência Verbal
Prende-se com insultos, comentários cruéis, berros e todas as ofensas que se podem fazer através da linguagem.
Violência Psicológica/ Emocional
Manifesta-se através de acções como criticar, interromper constantemente a refeição, trabalho ou lazer de alguém para lhe ordenar que faça determinada tarefa, culpar, menosprezar, controlar, proibir, não deixar sair de casa, forçar a fazer coisas, tratar como empregado/a, não considerar a sua opinião, entre muitas outras.
Violência Económica
Está relacionada como o facto de se tirar dinheiro, esconder a situação financeira, negar o acesso à conta bancária, obrigar a pedir dinheiro e a prestar contas, assim como controlar as despesas, negando autonomia à outra pessoa e fazendo com que se sinta descontente e oprimida.
Violência Sexual
Não tem apenas a ver com impor o acto sexual através da força física. Outros exemplos deste tipo de violência são fazer comentários depreciativos do corpo de alguém, comparar com modelos, toques indesejados, criticar atitudes e chamar frígido/a, exigir uma relação sexual quando a outra pessoa está cansada, ou doente, entre outros.
Há muita violência que não é encarada como tal por parte de muitas pessoas. Mas quem a sofre, sempre soube. Ninguém precisa tolerar uma situação que o/a faz sentir desconfortável, deprimido/a ou receoso/a. Há sempre uma saída.

Linha Telefónica de Informação as Vítimas de Violência Doméstica

Responda à sondagem que está no início da barra do lado esquerdo. Obrigada!
Fonte: Baseado em apontamentos da formação “Desenvolvimento Positivo das Relações de Género na Adolescência”, promovido pelo Centro de Formação de Associação de Escolas da Terceira, S. Jorge e Graciosa, em parceria com a DRSSS.

27 de agosto de 2011

Casamento

Alianças de casamento
Fonte da Imagem


Um dos dias mais bonitos na vida de muitas pessoas, o dia mais bonito de todos na vida de alguns.
É das celebrações de que mais gosto, não só por todo o romantismo envolvido, mas também porque marca o início de um projecto em comum e de uma partilha muito especial.
É um dia que é planeado com muita antecedência, requer dias e horas de preparativos, mas quando esse dia chega, voa. É um dia tão bonito e tão feliz, que sentimos que o tempo passa depressa demais.
Todas as pessoas que são importantes para nós partilham esse momento. Estão todos lá quando a noiva entra, com um lindo vestido, no qual todos reparam, de braço dado com o seu pai, que chegando ao altar entrega a sua mão ao noivo. Um gesto muito simbólico que diz: “É a minha filha. Viveu comigo até agora. Dou-te a sua mão. Cuida bem dela daqui por diante.”
E lá estão os noivos, diante do altar, fazendo votos de amor eterno. Acho particularmente bonito quando os noivos decoram o que têm de dizer e olham nos olhos um do outro enquanto fazem a sua promessa. Eu fiz assim e gostei de ver fazerem o mesmo, no casamento de grandes amigos meus. Foi emocionante o modo como o noivo olhava para a noiva e a emoção que ela continha na voz quando proferia os seus votos.
O casamento dos meus amigos foi marcado por momentos muito especiais, que tornaram a cerimónia muito pessoal.
Para além do casamento, baptizaram também o seu filho lindo. Dava um quadro magnífico a mãe vestida de noiva, com o doce e alegre bebé ao colo e o pai a seu lado. O avô materno cantou uma canção ao seu neto, cuja música ele próprio compôs. A letra foi escrita pela tia.
Mais tarde, a avó materna dirigiu-se ao pequenito e disse: “Hoje vou fazer-te uma coisa que nunca te fiz. Vou ler para ti.” E o que lhe leu ela? Um texto escrito pela sua filha, mãe do menino, quando tinha quinze anos, sobre Nossa Senhora. E que texto lindo! A minha amiga sempre escreveu bem.
Acho muito importante que o padre conheça os noivos e que haja uma certa familiaridade entre eles. As palavras que lhes dedica são mais ternas e bonitas. Para mim é muito importante ver o Senhor Padre também como um amigo.
Um momento muito bonito para as fotografias, mas um pouco doloroso para os noivos é quando atiram arroz. Eu só queria fugir!

Os noivos brindam com champagne
Fonte da Imagem
Depois vem a boda. Muita comida e bebida, sempre em abundância, variedade e qualidade. É a altura de maior convívio. (E de esquecer a dieta!)
No final vem a música! No casamento dos meus amigos, tivemos uma banda ao vivo. Eram muito bons. As mesas estavam organizadas por canções e a banda cantou as canções de todas as mesas, interagindo com os convidados, perguntando que mesa tinha aquela canção. Pediram à nossa mesa para cantarmos o refrão uma vez.
Momento alto: a noiva foi cantar. Estava linda de vestido de noiva e microfone cantando como uma grande estrela! Alguns convidados também cantaram. Foi o melhor Karaoke de sempre: cantaram com uma banda a sério a tocar para eles. Foi lindo!
O dia do nosso casamento é um dia mágico e deve marcar o começo de uma vida familiar muito especial que só nos traga felicidade!

23 de agosto de 2011

Ilhéu de Vila Franca – São Miguel

Ilhéu de Vila Franca
Ilhéu de Vila Franca

Um pedacinho de terra muito especial e agradável, no Atlântico, próximo da costa da ilha de São Miguel, junto à freguesia de Vila Franca do Campo.
Passa-se lá uma óptima tarde. Começa com a viagem de barco até ao ilhéu. Nada melhor para quem gosta de andar de barco. E se não se gosta assim tanto, é uma viagem muito rápida. Uma viagem que nos leva para um mundo à parte. Um pequeno paraíso.
O ilhéu tem uma forma arredondada, fechando-se numa pequena baía que forma uma bela piscina natural. A água é cristalina e, no Verão, tem aquela temperatura ideal, nem demasiado quente, nem demasiado fria, como por todo o arquipélago dos Açores.
É um lugar muito bonito e calmo, de origem vulcânica, em tons de verde e azul com um suave contorno castanho.
É um lugar que nos convida a não pensar em mais nada a não ser em sentir o calor do sol e mergulhar na água fresca!
Convém levar um lanchinho. Não se vende nada lá.
Ao regressarmos à ilha de barco, que passa por volta de meia em meia hora, vimos relaxados e revitalizados, com vontade de acenar aos turistas que passam por nós noutros barcos.
Para terminar bem o dia, um belo duche num hotel confortável e depois sair para jantar fora, algo bem gostoso.

22 de agosto de 2011

GUNS N’ ROSES – Live!

Guns N' Roses no Rock in Rio em Lisboa segundo a grande fã Diana Martins.

2004…
Aproximava-se o primeiro Rock in Rio Lisboa.
E para boa das surpresas, os Guns N’ Roses eram um dos cabeças de cartaz.
Era a minha primeira oportunidade para ver a banda que há anos admirava.
Azar dos azares! Devido à saída do guitarrista Buckethead, o concerto foi cancelado.
Tal não foi o meu desânimo…


Dois anos depois…
O que tinha que ser, foi mesmo…
Os Guns foram de novo convidados para o Rock in Rio Lisboa…
… e desta vez vieram, tocaram e arrasaram…


Axl estava lindo!...
… com as suas trancinhas, a sua voz característica e o seu sorriso irresistível…

Axl Rose
Fonte da Imagem



Momento alto do concerto:

“Where is my piano?”

Axl mandou vir o piano e, após uma lindíssima introdução tocada por ele, tocou a música mais esperada do concerto…

Axl Rose a tocar piano
Fonte da Imagem - November Rain


2010…
Após doze anos de longa espera pelo novo álbum (Chinese Democracy),
cá estavam eles outra vez J
com músicas sensacionais, como:
“This I Love” e “Street Of Dreams”
e ainda uma surpresa que superou todas as expectativas:

que se distinguiu com o seu solo – “The Ballad Of Dead”. 

DJ Ashba tocando The Ballad of Dead
Fonte da Imagem
Inesquecível…


É de facto maravilhoso poder assistir a concertos deste gabarito.

Autora: Diana Martins

Veja também Patience

19 de agosto de 2011

Elogios

Outro dia saímos com grandes amigos, que são também nossos familiares, e tivemos um excelente tema de conversa.
Tudo começou com a indagação: “Eu não sei qual é o meu talento.” Como resposta, seguiram-se vários elogios. O optimismo tomou lugar, contagiando todos, e cada um por sua vez foi elogiado. Senti que nos trouxe uma grande alegria. Empenhámo-nos com muito entusiasmo nesta agradável conversa.
Houve um momento em que ainda nos lembrámos de enumerar também os defeitos. Mas não. Preferimos o optimismo e quisemos fazer o mais difícil, que é fazer uma lista de qualidades.
Quanto aos defeitos, cada um reconheceu o seu pior defeito e dos outros só recebeu elogios. Não creio que nada possa ser mais positivo. Os defeitos ficam para nós os reconhecermos, os elogios vêm dos outros.
Já tinha escrito sobre este tema em Porque somos tímidos a dizer o que é bom? É verdade que isto é mais fácil entre grandes amigos. Mas que seja um bom exemplo.
O resultado? Para além de ser uma injecção de auto-estima, trás uma enorme alegria e cria laços de amizade muito especiais.
Meus AMIGOS, um grande beijinho e um forte abraço!

17 de agosto de 2011

Acampar

Como passar um óptimo fim-de-semana no Verão? Como relaxar absolutamente? Nada como um acampamento.

Acampar


Sol, mar, churrascos e muita diversão. Acordamos com o sol, pequeno-almoço leve, um café e estamos prontos para o mar. A água estava óptima. Se estivesse mais quente não seria bom. O sol marcou uma forte presença, por isso os mergulhos foram muitos.

Nadar


Nunca usámos relógio a não ser o biológico. Quando a fome apertava, regressávamos ao parque de campismo para começar a fazer brasa. Uma vantagem para as mulheres é que normalmente os homens é que fazem o almoço e o jantar, pois gostam do grelhador. É um fim-de-semana em que se come tudo o que apetece. Não faltaram bons petiscos.
Da parte da tarde, mais um banhinho de mar. É impossível não ganhar um bom bronzeado.
O guarda-roupa é sempre simples. O que é uma preocupação a menos. Biquíni, chinelos, t-shirt, calções e chapéu.
À noite, jogos, muita conversa e risota. Um chouriço à bombeiro para a ceia a acompanhar uma boa cartada.

Chouriço à bombeiro


É um bom remédio anti-stress, pois não há horários a cumprir, nem uma série de tarefas que têm de estar terminadas à hora tal. A única tarefa a desempenhar é: diversão. Fazer o que queremos quando queremos, sem pressa. Assim se vive ao sabor do sol e do mar, com cheirinho a churrasco.

Porque é tão difícil deixar de fumar?



Fumar
Fonte da Imagem
 
Começa-se por uma série de razões: rebeldia, porque parece “fixe”, por influência, para parecermos grandes, por depressão, por ansiedade, para chamar a atenção, enfim, a lista é longa.
Pensamos sempre que não vamos ficar viciados. “É só um agora.” “É só quando saio à noite.” “Eu não tenho vício. Quando quiser largar, largo.” Mas grão a grão o vício vai penetrando e vai ficando até gostarmos muito dele.
Sabe bem depois das refeições. Antes tomar café sem açúcar do que sem cigarro. À noite, acompanhando uma bebida alcoólica, nada melhor. Quando um fumador puxa o cigarro, os outros vão todos atrás. Antes não ter tabaco do que não ter lume. É imprescindível perante a ansiedade. Necessário para comemorar. Ajuda o sono a vir. Ajuda a passar o tempo. E quando já não podemos começar o dia sem ele, quando ele nos chama logo pela manhã, onde o vício já vai!
Há sempre um dia em que pensamos deixar de fumar. Há sempre uma razão. Sempre chega a altura em que decidimos tentar cortar com este hábito. Há quem chegue a tentar várias vezes. E é aí que descobrimos o que significa vício.
O vício é como uma fome. Quem é viciado, tem necessidade de fumar, como todos temos necessidade de comer. Tentar deixar de fumar é como estar a fazer dieta para emagrecer e ter de renunciar a uma série de coisas que se gosta de comer. É como uma espécie de paixão proibida, em que não devemos ter aquilo por que ansiamos. Não admira que seja tão difícil deixar de fumar. Admiro muito todos aqueles que conseguem!

Fome

Deixar cair da mão
O último dos poucos morangos
E vê-lo rolar pelo chão
Cobrindo-se de sujidade
É uma contrariedade

Fonte da Imagem - Morango


Chegar de estômago vazio
Ver no prato o que não se quer
Para além de frio
Não dá indigestão
Mas é uma grande insatisfação

Fonte da imagem - The Potato Eaters, Van Gohg



Não ter e não comer
Querer e não ter
Se nada se come
Chama-se fome

Mas ver a sobremesa da nossa eleição
Que só de olhar tudo nos consome
Estender para ela a mão
E tocar apenas o vidro liso e frio da vitrina
Isso é qualquer coisa mais que fome

Fonte da imagem - Chocolate por detrás da vitrina



11 de agosto de 2011

Precisar sair do paraíso


Terceira

É um privilégio viver numa pequena ilha verde, rodeada de mar a beijar a costa, cheiro de criptoméria, eucalipto, maresia, touros, terra molhada, sabor a lapas, bifanas quentes e cerveja fria, onde tudo é conhecido, familiar, seguro, mas rotineiro.
Andar em círculos causa ansiedade. Sempre os mesmos lugares, os mesmos afazeres, os mesmos sabores e dissabores. Há que refrescar. Há que cortar com o habitual. Há que ceder à sedução do desconhecido ou um mal conhecido a ser redescoberto.
Para a rotina de um meio pequeno, nada melhor que uma atarefada capital cheia de atracções. O dinheiro só tem valor quando é trocado por um bem.

Tower Bridge


É libertador estar num lugar em que ninguém conhecemos e em que ninguém nos conhece. É confortável estar no estrangeiro, sem que a língua seja um entrave.

Double Decker Bus




Há um plano diferente para cada dia. Há sempre o que ver. E tudo cativa porque é diferente, porque não é como nada que já tenhamos visto. Tudo é novidade, cativa o olhar, a concentração e ajuda a deixar de pensar.

Big Ben


Natural History Museum


Depois anda-se, anda-se, anda-se… anda-se muito a pé. A cada passo novas descobertas, novas esculturas, novos quadros, novas realidades, novos sabores. Andar cansa o corpo e trás sono à noite. Sono que é doce porque é num hotel, com vista para um cantinho verde, porque não há cama para fazer e o pequeno-almoço está à disposição.

Aquiles


Russel Square

Depois há aquele cantinho acolhedor que fica numa esquina mesmo a dois passos, que mata a sede e revitaliza.

The friend at hand


É agradável para o viajante independente. É maravilhoso na companhia de amigos ou familiares. Mas para quem leva consigo o seu lar, aquele/a com quem nos sentimos em casa mesmo estando no estrangeiro, deixa marca. É apaixonante!

5 de agosto de 2011

Bon Jovi em Lisboa – 31 de Julho de 2011


Actuação ao vivo dos Bon Jovi
Fonte da Imagem - Bon Jovi


Parque da Bela Vista, bom tempo, noite amena, um palco magnífico com um ecrã gigante como pano do fundo, projectando imagens lindíssimas, montagens, efeitos… luzes… foi lindo!
Ouvimos algumas das novas canções e também aquelas do tempo da nossa adolescência, aquelas que sabemos cantar de cor. Foi emocionante o modo como as 56000 pessoas que lá estiveram cantavam as canções do princípio ao fim, ver todos de mão no ar ou a bater palmas, uma emoção vivida em uníssono.  


Jon Bon Jovi e Richie Sambora
Fonte da Imagem - Bon jovi
 

Os músicos… fantásticos! O Jon Bon Jovi… voz única, uma presença em palco … caloroso com os fãs, falava e cantava com emoção… Bem-disposto, sempre com um sorriso, é aquele artista que gosta do que faz.

Jon Bon Jovi em grande estilo
Fonte da Imagem - Jon Bon Jovi


O público também foi muito caloroso com a banda e por nada os queria deixar partir. Foi o último concerto da tournée pela Europa, o que trouxe muita emoção. Depois de saírem do palco e voltarem, esperava eu ouvir mais três músicas, quatro, com sorte, mas foram oito. Foi sensacional!


Fonte da Imagem - Jon Bon Jovi
 

Queríamos muito ouvir Livin’ on a Prayer e Always, que ficaram para o fim. Já estávamos a perder a esperança, mas os Bon Jovi sabem como mimar os seus fãs e lá tocaram estas canções tão desejadas e esperadas.


Fonte da Imagem - Jon Bon Jovi
 

Muito boa também foi a companhia. Estes momentos sabem melhor quando partilhados com família, amigos e com a pessoa que amamos.
Foi o concerto da minha vida! O melhor de sempre e que permanecerá eternamente na minha memória.


Fonte da Imagem - Jon Bon Jovi
 

Bon Jovi, obrigada!

As canções tocadas no concerto:
Raise your Hands
You Give Love a Bad Name
Born to Be My Baby
We Weren’t Born to Follow
Lost Highway
It’s My Life
Get Ready
In These Arms
We Got It Goin’ On
Captain Crash & the Beauty Queen From Mars
Bad Medicine/ Gloria/ Pretty Woman/ Shout
(It’s Hard) Letting You Go
When We Were Beautiful
I’ll Be There For You
Who Says You Can’t Go Home
I’ll Sleep When I’m Dead
Any Other Day
Have a Nice Day
Keep the Faith
Encore 1:
These Days
Wanted Dead or Alive
I Believe
This Ain’t a Love Song
Livin’ on a Prayer
Encore 2:
Always
I Love This Town
Twist and Shout (The Isle Brothers)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste dispositivo